Os quadrinhos são uma linguagem bastarda

Não é nem pura imagem, nem pura literatura: como a literatura, conta histórias servindo-se de palavras, mas oferece, além disso, uma interpretação puramente plástica dessa história através do desenho. Como a pintura, oferece uma experiência estética, mas esta está vinculada absolutamente à narração.

Um quadrinho oferece uma experiência de leitura que é muito particular e que não pode ser comparada a nenhuma outra, e demanda do leitor um tipo de elaboração específica. Uma espécie de concentração e de assimilação que não é a mesma exigida pela literatura ou pelas linguagens audiovisuais. Nos bons quadrinhos, a narração e os desenhos formam um todo, uma unidade indivisível, e não se pode entender um bom quadrinho atomizando uma coisa e outra. Não há bons roteiros mal desenhados, nem bons desenhos para maus roteiros: o que há são bons quadrinhos ou maus quadrinhos.

Uma das melhores definições do que são os quadrinhos que já vi. De José Luis Munuera. Visto aqui.

Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: