Black Hole

Nos arredores de Seattle, em meados da década de 70, um espectro sem nome ronda os pensamentos dos adolescentes locais. Uma praga insidiosa se dissemina pelo contato sexual e parece não poupar ninguém. Em cada um dos infectados, ela se manifesta de forma diferente – enquanto alguns se safam com simples manchas na pele, outros se transformam em aberrações, criaturas deformadas, vagas lembranças do que foram um dia. Para esses, não resta alternativa a não ser o auto-exílio em acampamentos precários, afastados da civilização.

É nesse clima de horror e insanidade que se desenvolve o enredo de Black Hole. Nele, a juventude é a porta de entrada do purgatório; o sexo, o início de um terrível pesadelo; e a vida, uma sinistra roda-viva que transforma tudo o que toca em uma espiral interminável de provações e injustiças.

Rupert Sanders dirigiu um curta baseado na obra de Charles Burns. Veja aqui.

Visto aqui.

Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: